Pesquisar este Blog

Postagens mais lidas

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

70 maneiras de escrever errado

A Tautologia é um dos vícios de linguagem. Consiste em repetir uma ideia, com palavras diferentes.
Q ue tal observar a lista de preciosidades cultivadas ao longo da década? Se vir alguma conhecida, não titubeie: cumprimente-a e dê-lhe adeus.
  1. Elo de ligação
  2. Acabamento final
  3. Certeza absoluta
  4. Número exato
  5. Quantia exata
  6. Sugiro, conjecturalmente
  7. Nos dias 8, 9 e 10, inclusive
  8. Como prêmio extra
  9. Juntamente com
  10. Em caráter esporádico
  11. Expressamente proibido
  12. Terminantemente proibido
  13. Em duas metades iguais
  14. Destaque excepcional
  15. Sintomas indicativos
  16. Há anos atrás
  17. Vereador da cidade
  18. Relações bilaterais entre dois países
  19. Outra alternativa
  20. Detalhes minuciosos
  21. A razão é porque
  22. Interromper de uma vez
  23. Anexo (a) junto a carta
  24. De sua livre escolha
  25. Superávit positivo
  26. Vandalismo criminoso
  27. Todos foram unânimes
  28. A seu critério pessoal
  29. A palavra de honra
  30. Conviver junto
  31. Exultar de alegria
  32. Encarar de frente
  33. Comprovadamente certo
  34. Fato real
  35. Multidão de pessoas
  36. Amanhecer o dia
  37. Citação nova
  38. Retornar de novo
  39. Frequentar constatemente
  40. Empréstimo temporário
  41. Compartilhar conosco
  42. Surpresa inesperada
  43. Completamente vazio
  44. Colocar algo em seu respectivo/devido lugar
  45. Escolha opcional
  46. Continua a permanecer
  47. Passatempo passageiro
  48. Atrás da retaguarda
  49. Planejar antecipadamente
  50. Repetir outra vez
  51. Sentido significativo
  52. Voltar atrás
  53. Abertura inaugural
  54. Pode possivelmente ocorrer
  55. A partir de agora
  56. Última versão definitiva
  57. Obra-prima principal
  58. Gritar/bradar bem alto
  59. Propriedade característica
  60. Comparecer em pessoa
  61. Colaborar com uma ajuda/auxílio
  62. Matiz cambiante
  63. Com absoluta correção/exatidão
  64. Demasiadamente excessivo
  65. Individualmente inigualável
  66. A seu critério pessoal
  67. Abusar demais
  68. Exceder em muito
  69. Preconceito intolerante
  70. Medidas extremas de último caso
Por Francisco Eriberto

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Quanto vale um cliente?

“Cliente é o ativo mais importante de qualquer empresa, mesmo que não apareça no balanço”. – T. Berry.

John Hicks, ganhador do prêmio Nobel de Economia no ano 1992, disse: “Quem garante todos os empregos não são os empresários, os sindicatos ou os governantes. São os consumidores”.

O que seria do vendedor sem o comprador? O que seria do pequeno comércio ou da grande indústria sem seus clientes/ consumidores?

Quanto vale um cliente?

Aprendi que um cliente vale mais do que uma venda, portanto, o foco deve estar no cliente e não no negócio.

Comprei um lindo telefone celular, super lançamento, cheio de funcionalidades e utilitários. Fui atendido como um rei. Tive problemas, liguei para o suporte, tentei reclamar, mas de alteza, agora virei um plebeu.

Descobri que não posso ser o complicador da situação. Devo flexibilizar, oferecer comodidade e facilidade no meu atendimento. Hoje eu sei que o produto é apenas um pretexto para adquirir aquilo que eles mais necessitam: benefícios e soluções.

Quanto vale um cliente?

Ganhei reconhecimento, virei referência. Fiz vários novos clientes, mas com um, apenas um eu “pisei na bola”, foi um erro de comunicação, a falta de explicação, um pequeno transtorno! Pequeno?

Um cliente representa muito quando eu o ganho, mas representa muito mais quando o perco. Pesquisas revelam que conquistar um cliente custa cinco vezes mais caro do que mantê-lo. As estatísticas e a Psicologia das Vendas comprovam que clientes insatisfeitos influenciam quase quatro vezes mais do que os satisfeitos. Agora vou ter que trabalhar em dobro pra melhorar a minha imagem e voltar a ter credibilidade!

Quanto vale um cliente?

Bastante. Descobri que até mesmo as suas opiniões e visões são fundamentais. Em vendas é assim; algumas técnicas são as mesmas, quer seja para vender um parafuso ou para vender um caminhão. Quando se fala em excelência no atendimento alguns princípios são os mesmos. Seja eu grande ou pequeno (bastante relativo, né?), é importante medir a satisfação do meu atendimento e pedir sugestões. Ouvindo o cliente terei dois benefícios: produtos e serviços específicos e um sócio-cliente.

Quanto vale um cliente?

Tive muitos clientes, mas não os fidelizei. Não mantive um bom relacionamento após a venda. Achei que meu bom produto, minha simpatia e meu talento os manteriam ao meu lado, mas eu estava errado mais uma vez. Esqueci que o mercado é altamente competitivo... Ah, quando eu deixo de oferecer algo, muitos outros vão e oferecem... Tipo a história do Ricardão, é preciso sempre comparecer, pois os “gaviões” estão pela volta. Sabe, foi aí que descobri porque perdemos clientes:

• 1% faleceram;
• 3% mudam de endereço;
• 5% sofrem influência;
• 9% foram atraídos por concorrentes;
• 14% o produto é ruim;
• 68% o atendimento é ruim.

De hoje em diante darei a devida atenção para meus fornecedores, vou investir na vitrina da minha loja, em publicidade e consultoria, em qualificação pessoal, mas colocarei como prioridade a Gestão de Relacionamento com o Cliente. A partir de agora, os meus clientes valem ouro. Trabalharei e crescerei cada vez mais, e sempre pensando neles. O atendimento será exclusivo, totalmente personalizado e cheio de surpresas agradáveis.

Após ganhar estes clientes, prometo dedicar tempo, estratégia e até dinheiro para fazê-los parte da história da minha empresa. Os consultarei sempre antes de oferecer novidades, e quando precisar de idéias, eles serão meus principais consultores. Vou procurar conhecer um a um, necessidades, perfil, etc. Inclusive, estou pensando em obter informações sobre eles, pra fazer um cadastro e felicitá-los em ocasiões especiais.

Quanto vale um cliente?

Vale tanto que devo fazer coisas inovadoras. Devo pensar “fora da caixa”, deixar de ser previsível e fazer um pouco além do que os profissionais comuns costumam fazer.

Preciso diferenciar meu atendimento e minhas técnicas de vendas, pois se eu fizer como os outros fazem terei resultados iguais ou piores.

Eu passarei a ser reconhecido quando me tornar fora de série. Vende - dores e tiradores de pedidos são muitos e geralmente atendem da mesma forma, com a mesma oferta, com o mesmo entusiasmo... Quero ser raro, e agora? Devo ser o melhor profissional de atendimento e vendas que já se teve notícias. O encantamento virá pela experiência impactante e inesquecível que vou agregar, sempre sendo original, empático e específico. Vou surpreender!

Quanto vale um cliente?

Tudo. Com muitos clientes os meus negócios decolam, tudo engrena, passo a ter lucro e enfrento até mesmo as épocas mais difíceis do ano. Sem os clientes, eu sei que vou falir.
Lembre-se: Os clientes devem ser mais importantes pra você do que você pra eles.


Rudson Borges é palestrante nacional TOP em Comportamento & Vendas. Em pesquisa de opinião pública realizada pela ThreeC Comunicação Empresarial, Borges foi apontado como um dos 30 maiores especialistas em Atendimento & Vendas do País. É vice-presidente da ABRACONSULT – Associação Brasileira de Consultores e Treinadores de Vendas.
Acesse:
www.rudsonborges.com.br e obtenha maiores informações.


Por Francisco Eriberto

O álcool atrapalha ou ajuda na transa?

     Existe um mito de que bebida alcóolica e sexo fazem uma boa dupla.
     Mas, na maioria das vezes, isso não passa de lenda. Em geral, acontece exatamente o contrário: beber demais atrapalha o desenpenho sexual das pessoas. Vamos aos fatos. Doses baixas de álcool têm, inicialmente, efeito estimulante: a pessoa se sente mais desinibida, deixa de lado a timidez e consegue chegar mais em outras pessoas. Ou seja, o poder da "cantada" fica mais forte.

     Mas não se engane, esse é um efeito transitório, que pode passar rapidamente se novas doses de bebida forem consumidas. A partir daí o álcool começa a mostrar sua verdadeira vocação: ele é um potente depressor do funcionamento do sistema nervoso central. Quem bebe demais pode ficar com reflexos lentos, voz arrastada, sonolência e comportamentos impróprios.

     Na hora do sexo não podia ser diferente! Quem passa da conta fica sem capacidade adequada de avaliar situações. Assim, a pessoa facilmente pode levar "gato por lebre", escolhendo parceiras com quem não ficaria normalmente. Além disso, fica mais difícil alcançar e manter uma ereção e o  beberrão ainda pode passar horas sem conseguir chegar "lá". Com as mulheres também há uma piora na resposta sexual: excitação, lubrificação, prazer e orgasmo ficam prejudicados. Isso sem contar que aumenta o risco de não usar camisinha e de não conseguir lembrar o que aconteceu na noite anterior...

    Se, por um lado, a aproximação talvez fique mais fácil com o álcool, por outro, há uma chance muito maior de o desempenho sexual desapontar. E de que vale ter a(o) parceira(o) mais bonita(o) do mundo se, na hora H, não se consegue mostrar serviço?

Jairo Bouer-médico psiquiatra e estudioso da sexualidade humana
Por Francisco Eriberto

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Beijar é bom, mas cuidado com a boca

     "Vamos namorar beijar na boca/vamos namorar beijar na boca". A música 'Na base do beijo' de Ivete Sangalo é uma das mais tocadas no carnaval e festas de axé; traduz um ato muito praticado durante essas festas: beijar na boca.
     Mas os médicos advertem: O vírus que causa a mononucleose infecciosa, o Epstein-Barr, necessita apenas do contato da mucosa com a saliva contaminada para sua transmissão - ou seja, apenas um beijo de língua! Como lembra o médico Cícero Lascala, mestre e doutor eme Diagnóstico Bucal pela Universidade de São Paulo (USP), "é por isso que a mononucleose é também conhecida como a 'doença do Beijo' e sua propagação aumenta muito logo depois de baladas em geral', informou.
     A mononucleose caracteriza-se por sintomas como febre, mal-estar físico, dores de cabeça e de garganta, aumento de gânglios, ínguas no pescoço e inflamação do fígado - a hepatite. Como se trata de um vírus, é importante que os possíveis infectados alimentem-se bem, durmam pelo menos oito horas por dia e até mesmo consumam complexos vitamínicos. Para Cícero Lascala, isso vale também para outras doenças que podem ser transmitidas pelo beijo, como a tuberculose, a hepatite, a sífilis e outras sexualmente transmissíveis.
     "Uma higienização oral com boa frequência diária, com escovação e uso do fio dental, ajuda ainda a evitar problemas como a transmissão de cárie, que se aproveita da troca de salivas", acrescenta o especialista.
Nunca é demais lembrar que o sexo oral deve ser praticado com o uso de preservativos, pois doenças sexualmente transmisíveis são detectadas em maior número logo após as festas, como a crista de galo, a gonorreia, a sífilis e a aids.
     Uma visita ao cirurgião-dentista pode ser decisiva para facilitar o diagnóstico precose de diversas doenças, inclusive o câncer bucal e a aids, através do exame clínico de rotina da cavidade bucal, papilas e glândulas do pescoço.
     Finalmente, é sempre bom levar em conta que a alimentação durante baladas e folias prolongadas deve, sempre que possível, ter como base alimentos saudáveis e isentos de carboidratos, incluindo-se no cardápio frutas, verduras, legumes e carnes magras, evitando-se o consumo de açúcar, seja em refrigerantes ou em forma de doces, além de alimentos industrializados, pois estes contêm açúcar em sua formulação.

Texto da REVISTA PLUS-27/02/2011-ANO 5-253 Por Francisco Eriberto










Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget