Pesquisar este Blog

Postagens mais lidas

domingo, 30 de outubro de 2011

Tabagismo

Viver sem cigarro é muito mais legal!

Lenbre-se que:
Os fumantes não são os únicos expostos aos males do cigarro. Também os não-fumantes são atingidos, já que passam a ser fumantes passivos. Onde quer que alguém esteja fumando, são encontradas partículas da fumaça do cigarro, principalmente em locais fechados, residenciais ou públicos.

Motivos PARA NÃO COMEÇAR a fumar!

O cigarro é uma droga e vicia!
Tabagismo é responsável por mais de 200.000 mil mortes ao ano no Brasil.
O fumante perde o fôlego aos menores esforços, apresenta tosse, pigarro ou catarro.
O cigarro causa mau hálito e deixa cheiro ruim nas roupas e cabelo.
A pele do rosto fica acinzentada, cabelos sem brilho e os dentes escuros.
No homem, fumar causa maior tendência à impotência sexual.
Na mulher, fumar causa maior índice de abortos e menor peso do recém-nascido.

Dica: PARE DE FUMAR OU DIGA NÃO A QUALQUER TIPO DE DROGA!

Uma das minhas primeiras redações!

"Tudo vale a pena, se a alma não é pequena?"
          "Não há vitórias sem lutas". Esta é a frase de quem conquista com esforço. O valor de cada conquista está na luta para o triunfo de glória.
          Esta valorização depende do que planejamos e da necessidade da qual passamos, num planejamento básico para a vitória.
          Ordenar as ideias e agir sabiamente é fundamental para um resultado glorioso. Assim sendo, influenciado no combate à fraqueza e ao desânimo.
          A busca de solução para essas condições, está no potencial de cada alma com o propósito de mostrar pra vida de que é capaz de enfrentá-las.
          Dessa forma, a realização desses porquês resolvem-se de uma vez por todas. E, as armadilhas dessa batalha são desfeitas, abrindo espaço a uma busca incansável por uma alma grande.
Autor: Francisco Eriberto Silva de Sousa

10 SINAIS DE QUEM PERDEU A SALVAÇÃO

10 SINAIS DE QUEM PERDEU A SALVAÇÃO
  • 1.Não tem prazer de falar com Deus.
Existem pessoas que se desculpam de falta de tempo, cansaço e de que Deus sabe do que ela precisa, deixando assim de expressar a sua dependência Nele.
  • 2.Não tem prazer de conhecer a vontade de Deus.
As pessoas que deixam de ler a Bíblia, automaticamente deixam de ouvir a voz de Deus. Desta forma ficam sem saber qual é a Sua vontade nas suas vidas, pois a Bíblia é a fonte. É nela que está expressa a vontade de Deus para nós.
  • 3.Tem medo da morte.
Teme o destino da sua alma, pois não tem a certeza da Vida Eterna.
  • 4.Tem medo que o Senhor Jesus volte e não seja arrebatado.
Teme a vinda do Senhor Jesus, porque sabe que a forma de vida que está a ter, não lhe dá o direito de ser arrebatado.
  • 5.Valoriza as coisas materiais mais que as espirituais.
Perde a visão da salvação, dando mais valor e priorizando as coisas materiais, deixando o espiritual, que é o principal, como secundário.
  • 6.Preocupa-se em agradar mais às pessoas do que a Deus.
Preocupa-se mais com o que as pessoas pensam e esperam a seu respeito, do que o que Deus pensa e espera dela.
  • 7.Não tem temor.
Por isso, mente, guarda magoa, inveja, julga, desobedece, rebela-se, pois o temor não representa medo, mais sim, um profundo respeito. Quando a pessoa se rebela, na verdade ela quer impôr a sua vontade.
  • 8.Não se concentra no louvor, na oração ou na adoração.
A pessoa facilmente se distrai abrindo os olhos, pensando em outros assuntos e acaba por ficar vazia. Ela “ora”, “louva”, “adora”, mais é como se não estivesse ali. Seus pensamentos são outros…
  • 9.Não tem alegria da salvação.
A pessoa que é salva resplandece alegria, é feliz seja qual for a situação que esteja a passar, pois esta alegria é espontânea. Ela se sente segura, com paz e não é acomodada.

  •  10.A mensagem nunca é para si.
Ela acha que a pregação nunca é para ela e sim para os outros. Mas Cristo, sempre está a renovar-nos para aprendermos a ter uma nova mente, coração e espírito.

Obs.: Quando a pessoa nega a fé, tudo isto deixa de existir!

Por dentro da simbologia!

Símbolos

Dentada - As fileiras de dentes são como muros de fortaleza em relação ao ser humano: no plano dos símbolos, é o forte que guarda o espírito.

Dentes - Os dentes significam a perfeição com a qual dividem o alimento que recebem; porque cada essência intelectual, tendo recebido em dom de uma outra essência mais divina, a intelecção unificadora, divide-a  e multiplica-a providencialmente para elevar espiritualmente, tanto quanto possível, a essência inferior que tem a seu cargo.

Escada – É o símbolo por excelência da ascensão e da valorização, ligando-se à simbologia da verticalidade. Mas, ela indica uma ascensão gradual e uma via de comunicação em sentido duplo entre diferentes níveis. Em relação à altura seria a dimensão de um ser visto do exterior. Ela é também o símbolo das permutas e das idas e vindas entre o céu e a terra. É sempre pelos degraus sucessivos que a alma realiza sua própria ascensão. Os três degraus de novato, de avançado e de perfeito; ou de canal psíquico e espiritual; ou de via purgativa, iluminativa e uvitiva, são divisões variadas que ...

Porta - Simboliza o  local de passagem entre dois estados; entre dois mundos; entre o conhecido e o desconhecido; também, abre espaço da luz para as trevas, ou vice-versa. A porta se abre sempre sobre um mistério, causando espanto diante de uma situação positiva ou negativa. Ela também tem valor psicológico, indica não somente uma passagem, mas convida a atravessá-la. É  o convite à viagem rumo ao além... a passagem da terra ao céu – (de Vilela). Assim, esse objeto é a comunicação do instrumento oculto – ( a Cartomante).

Casa – Significa o ser interior, segundo Bacheland; seus andares, seu porão e sótão simbolizam diversos estados da alma. O sótão representa a elevação espiritual, ... Na psicanálise, a casa é vista detalhadamente numa relação com o corpo: a fachada corresponde à aparência externa; o telhado, à consciência; o porão, ao inconsciente e a cozinha corresponde às transformações psíquicas. Símbolo do cosmo. Símbolo do corpo humano (religião – o corpo é o templo da alma, do espírito).

Serpente – É um vertebrado que encarna a psique inferior; o psiquismo obscuro, o que é raro,  incompreensível e misterioso. Na psicanálise é símbolo sexual masculino pelo formato fálico e feminino pelo ventre devorador, é símbolo da libido. No antigo Testamento é animal impuro; representa o pecado e satanás; também simboliza a inteligência, a serpente de bronze de Moisés foi objeto cúltico dos judeus. Representação simbólica de Cristo é a serpente nos báculos dos bispos. Na arte medieval cristã encontramos a representação da serpente tentadora do paraíso, com cabeça de mulher e seios. Para os romanos eram símbolos dos espíritos do lar e da família. O Fisiológico cita a serpente como Mateus – 10,16 : “Sede prudentes como as serpentes e sem malícia como as pombas”.

Estrada – Via; caminho. Direção; rumo. Trajeto; percurso.

– Parte do corpo dos homens e dos animais mais próxima da terra. Relaciona-se com a vontade (instrumentos da locomoção). Pisar a terra simboliza tomar posse. Pisar o inimigo simboliza a sujeição total. Na crença dos romanos entrar com o pé direito traz sorte e com o pé esquerdo traz azar. Os pés descalços são símbolos de humildade; da pobreza inconsciente. Na psicanálise o pé é símbolo fálico (relativo ao falo – pênis).

Pedra – Difundida mundialmente apresenta papel relevante no simbolismo da maioria das civilizações. Os meteoritos caídos do céu simbolizam a união entre o céu e a terra. Pela dureza simboliza os poderes divinos, eternidade, a força concentrada, a imutabilidade, dispensadora de vida. As pedras sepulcrais são símbolos de proteção aos mortos, continuando viva a força ou a alma dos mortos. Na bíblia a rocha e a pedra são símbolos da força de Deus protetor.

Apolo – Mitologia e Alquimia  - símbolo do sol. Nome grego significa “do fundo do leão”relação Do sol com o signo do Zodíaco Leo.

Jogo – O jogo é um fenômeno primordial da vida. De forma variada, simples, mental e fisicamente mais desenvolvida, de estratégias, o jogo permeia a linguagem, o culto, a cultura e a vida social e política. Símbolo de luta contra homens ou obstáculos a serem vencidos de acordo com regras.

Jogo de Xadrez – Simboliza a luta entre opostos associados aos contrários bem/mal; vida/morte.

Noite – Símbolo das trevas misteriosas; do irracional; do inconsciente; da morte; do seio materno; do acolhedor; da fecundidade.

Olho – Principal órgão da percepção sensitiva. Símbolo da visão espiritual, é relacionado com a luz, com o espírito, espelho da alma. Na bíblia o olho é símbolo da onisciência, da vigilância e onipresença protetora de Deus. O olho na mão de Deus simboliza a sabedoria criadora. O olho dentro de um triângulo significa Deus Pai na Trindade.

Catástrofe – Na psicanálise é símbolo de mudanças para transformações psíquicas.

Ervas – plantas medicinais ou venenosas.

Asas – Símbolo da espiritualidade, da imaginação e do pensamento.

Boca  - Símbolo do poder do espírito, da força criadora, da insuflação da alma e da vida.

Osso – Considerado pelos antigos caçadores como portadores da essência ou da força vital; após comer a carne os ossos deveriam ser entregues à natureza, ou à água, ou ao fogo para a continuação da espécie.

 Véu – Símbolo de mistério, de ocultação da verdade, de ocultação da divindade. Abrir o véu é símbolo de revelação, de conhecimento, de iniciação.

Orelha – Símbolo da audição, da comunicação e da obediência. Na Idade Média, o ouvido era considerado sede da memória – juízo.

Janelas – Simboliza penetração, possibilidade e distância. Numa torre alta faz analogia ao ser humano; simboliza a consciência. Simboliza também em alguns casos os olhos da alma; do interior para o exterior.

Mesa – Centro de reunião de pessoas; símbolo da refeição comunitária, de uma comunidade. Segundo o Islamismo Deus inscreve o destino dos homens numa grande mesa.

Chapéu – símbolo do pensamento.

Mão – Símbolo da força e do poder. Na psicanálise, a mão simboliza a significação geradora.

Mar – Ambivalente. Símbolo da força vital; símbolo do abismo que engole; símbolo do inconsciente; símbolo do infinito; símbolo do dissolver-se em Deus.

Ferreiro – Dominador do fogo é símbolo cosmogâmico. Transformador poderoso e criador. Negativamente,  relacionado com o fogo subterrâneo, a magia negra e o inferno.

Criança – Símbolo da espontaneidade e da inocência. Símbolo do princípio e das possibilidades plenas ( Evangelhos).

Mundo – Domínio em que se desenvolve uma existência. No simbolismo de nível temos o nível infernal, terreno e celestial.

Mãe – Na psicanálise a mãe é símbolo do inconsciente coletivo, do lado obscuro, esquerdo da existência, a fonte da água da vida.

Pai – Ligado ao princípio masculino, simboliza o consciente. É representado pelos elementos ar e fogo, pelo céu, pela luz, pelos raios e pelas armas.

Mulher – A simbologia da mulher reporta a Magna Mater – mãe, cidade, natureza; também à relação impulsiva, afetiva, intelectual e moral (Eva, Helena, Sofia e Maria) das mulheres.

Coração – É ponto central do homem. Todo centro é símbolo da eternidade. Presente na simbologia de várias culturas como o meio/lugar da espiritualidade, da intuição e da sabedoria, o coração de maneira geral é símbolo do amor e da amizade.

Meio-dia – Claridade máxima e sombra, é a hora da decisão misteriosa (lenda da antiguidade).

Rosto – Simboliza a manifestação da vida espiritual.

Três – É o número do princípio masculino, ao lado do 1 (divino) e do 2 (feminino). Seu elemento é a água e sua figura é o triângulo, ambos presentes no símbolo médico-alquimista. Símbolo da plenitude. Exerce fundamental papel universal em quase todas as religiões. Exprime ordem intelectual e espiritual; em Deus, no Cosmo ou no Homem. Sintetiza a trindade do ser vivo ou resulta na conjunção de 1 e de 2; Pai – Mãe – Filho (Representando a família). Esse número para os chineses é perfeito;  a expressão da totalidade e conclusão: nada lhe pode ser acrescentado. Para os cristãos é a perfeição da unidade divina: Deus é um em três pessoas; Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo. Os três reis magos. As três virtudes: fé, amor e esperança. Três princípios fundamentais na alquimia: o enxofre, o sal e o mercúrio. Os senhores do universo são três irmãos: Zeus, o céu e a terra; Posêidon, os oceanos; Hades, os infernos. Nos contos e lendas: três enigmas a decifrar, três provas a vencer. Na filosofia o trio é princípio intermediário entre pensar e ser.

Os melhores desenhos animados do mundo

Pica-Pau

O Pica-Pau foi criado em 1940 pelo artista de storyboard Walter Lantz. Em seus primeiros desenhos animados, o Pica-Pau aparece como um pássaro louco, com uma aparência considerada grotesca. Porém, ao longo dos anos, o Pica-Pau sofreu diversas mudanças no seu visual, ganhando traços mais simpáticos, uma aparência mais refinada e um temperamento mais tranqüilo. O Pica-Pau foi inicialmente dublado, nos Estados Unidos, por Mel Blanc, que também fez as vozes de quase todos os personagens do sexo masculino das séries Looney Tunes e Merrie Melodies. Como dublador do Pica-Pau, Blanc foi sucedido por Ben Hardaway, e mais tarde por Grace Stafford, esposa de Walter Lantz.
Tom & Jerry

A dupla começou em um curta da MGM chamado "Puss Gets the Boot", que foi para os cinemas em fevereiro de 1940. Neste curta Tom se chamava Jasper e Jerry ainda não tinha um nome. Somente depois os produtores batizaram os personagens de "Tom e Jerry". William Hanna e Joseph Barbera escreveram e dirigiram 114 episódios entre 1940 e 1957, quando a MGM Cartoon Studio (local onde os desenhos eram produzidos) foi fechada, causando o fim do desenho original. O último dos 114 episódios foi lançado em 1958. A série original ganhou o Oscar de melhor curta de animação sete vezes.
Popeye
Um persongame criado por E. C. Segar, mas para os quadrinhos no ano de 1929, Popeye já era desenho em 1933, um marinheiro que fazia de tudo para proteger sua namorada, Olívia Palito, das garras do inimigo Brutos. Nos anos 80 chegou ao Brasil, onde passou a ser exibido pela Rede Globo, e aí começou a marcar sua época, o pequenino marinheiro que ficava forte e confiante quando comia espinafre se tornou um dos maiores desenhos animados de todos os tempos, a única coisa que imagino que ele não conseguia fazer era convencer todas as crianças a comerem espinafre, talvez um dos sonhos impossíveis de Segar.
Scooby Doo
No fabuloso mundo de Hanna-Barbera, Scooby Doo não foi apenas mais um e sim é um dos maiores, criado em 1969 alcançou a marca de 350 episódeos, as missões e aventuras de Fred, Velma, Daphne, Salsicha e claro o cão Dogue Alemão chamado Scooby-Doo encataram o mundo e marcaram uma geração que jamais vai esquecer dos roteiros mirabolantes que a cada dia aguçavam a imaginação de todos, no final sempre a descoberta de que não havia nenhum fantasma, não havia nenhum assombração ou qualquer tipo de paranormalidade, mas no dia seguinte no novo episódeo sempre havia a dúvida se era mesmo ou não um espiríto apavorando os medrosos e famintos Scooby e Salsicha, e foi esse diferencial que fez com que o desenho se tornasse um dos melhores já feitos em todos os tempos.

Papa-Léguas e Coiote 



Desenho marcante e uma idéia fenomenal, Papa-Léguas e o Coiote são personagens criados em 1949 por Chuck Jones para os estúdios Warner Bros, e foram baseados em animais reais nativos dos desertos do sudoeste americano, o galo-corredor e o coiote. A presmissa de cada episódeo é sempre a mesma, o Coiote tentando capturar o Papa-Léguas, que é o entregador dos produtos ACME e sempre tem que passar pelas estradas dos desertos, mas como ele é muito rápido sempre engana o Coiote, fazendo ele passar pelas mais absurdas e mirabolantes armadilhas. Uma das curiosidades logo no início de cada episódeo é quando aparece um quadro em que o nome científico em pseudo-latim dos protagonistas surge, geralmente enfatizando a fome e estupidez do Coiote e a velocidade do Papa-Léguas, diferenciais que como o roteiro fazem com que este seja um desenho que sem dúvida alguma marcou época.
Os Flintstones 
Hanna-Barbera aparece mais uma vez, agora com uma criação muito original no ano de 1960, onde eles criaram um desenho focado em uma família de classe média-baixa da Idade da Pedra, inspirado na sitcom “The Honeymooners” e na animação “Stone Age Cartoons”. O desenho poderia ter sido um qualquer, se não fosse o detalhe de ser na tal Idade da Pedra, o carro de Fred Flintstone onde ele tem que dar impulsão com os pés, ou mesmo seu trabalho, onde é operador de dinossauro, sem falar no telefone, na TV ou outras coisas mais que sempre ganham uma versão alheia ao uso de eletricidade, os personagens Wilma, Barney e Betty além de Pedrita e Bamabam sempre traziam uma história engraçada a cada dia onde calcula-se que já tenha sido visto por 300 milhões de espectadores em 80 países, por isso marcou uma época e uma geração.
He-Man 
Um planeta chamado Eternia que parece um lugar medieval mas que ao mesmo tempo possuí muita tecnologia e muitos seres mágicos, um Rei e uma Rainha que dominam o lugar com honestidade e justiça sendo que ao mesmo tempo o vilão esqueleto e seus seguidores tentam dominar o castelo de Grayskull e ter o controle do Universo, esse é basicamente o roteiro de He-Man, porém com a diferença de que He-Man não é simplesmente o cara que vai salvar o Universo, ele é a tranformação do prícipe Adam e seu fiel escudeiro Pacato que vira o Gato-Guerreiro, aí sim o desenho tem o seu lado interessante, aí sim a Feiticeira fica mais interessante, o Mentor tem mais vida, o Gorpo é mais engraçado e She-Ra ganha até um desenho próprio com o mesmo enredo, assim fica díficil não consederar que He-Man foi mesmo marcante na história. 
X-Men
Saindo um pouco dos anos 80 e mais uma vez um desenho que se originou dos quadrinhos, em especial dos quadrinhos de super-heróis da Marvel Comics, talvez até o maior deles, os X-Men, os mutantes do célebre Professor Xavier que recentemente virou até filme, e que em 1992 virou desenho graças a FOX que fez o certo naquela época, colocou, ou melhor desenhou, Fera, Ciclope, Gambit, Jean Grey, Jubileu, Professor X, Vampira, Morfo, Tempestade e claro Wolverine exatamnete como eles eram desenhados nas histórias em quadrinhos, adotou a isso histórias interessantes, dubladores competentes que estiveram até no longa dos cinemas e assim foi até o ano de 1997, marcando um época em que pode ser definida como "A época em que os heróis da Marvel tiveram sua grande chance na TV", única, célebre e inesquecível.
Os Smurfs
Um desnho típico para crianças, bem infantil, marcou época sem dúvida alguma para muitos com menos de oito anos, incluindo eu que não perdia nenhum episódeo, me lembro que era sempre o primeiro desenho do dia, no programa da Xuxa, a musiquinha e as histórias dos pequeninos seres azuis fugindo do temido Gargamel e seu gato Cruel eram fantásticas, o célebre Papai Smurf e belíssima Smurfette, a única mulher da aldeia formada por casas de cogumelos. Agradecmos ao belga Pierre Culliford por ter criado esses personagens em 1958, e mais uma vez a Hanna-Barbera Productions por tê-los transformado em desenhos que passaram na Rede Globo em 1980, não acho os boatos sobre esse desenho ser no fundo uma mensagem de comunismo totalmente errada ou mentirosa, mas esse história não serve para ser debatida aqui, local apenas para falr que Os Smurfs simplesmente foram marcantes. 
Os Simpsons 

Se fosse a lista dos desenhos mais inteligentes de todos os tempos, Os Simpsons certamente estaríam na primeira colocação, Matt Groening criou para a FOX uma paródia satírica do estilo de vida da classe média estadunidense, e assim conquistou o mundo inteiro com Homer, Marge, Bart, Lisa e Maggie, uma família estremamente engraçada que vive na cidade de Springfield, onde junto com outros moradores vive situações mirabolantes em seu dia a dia. O mais impressionante em Os Simpsons é que o desenho muitas vezes nem é visto como um simples desenho, pois é tratado em diversas ocasiões como um série de TV, do tipo "Friends" ou qualquer outra, e além de ter virado filme animado no cinema ela continua sendo produzida até hoje, onde parece não haver mais limites para a imaginação e nem para novas histórias e até mesmo novos personagens, ou personagens da vida real que ganham sua versão Simpson e tantas outras ramificações, Os Simpsons marcou ume época e mais do que isso, continua marcando.
Caverna do Dragão 
Um grupo de jovens embarca em uma montanha russa chamada Dungeons & Dragons e quando um portal se abre eles vão parar em outro mundo para o resto de suas vidas, Hank, Eric, Diana, Sheila, Pesto e Bobby ganham novas roupas e armas mágicas, são orientados pelo mestre do magos e a cada dia terão que lutar por suas vidas contra muitos perigos e também contra o Vingador, buscando sempre um caminho de casa do qual nunca encontrarão. Infelizmente foram apenas três temporadas deste desenho fantástico e muito original para a época em que foi feito, o fato de nunca conseguirem achar o caminho de volta para suas casas é o que mais fascinava pois a cada dia queríamos assistir e ficávamos torcendo para eles conseguirem voltar, mesmo sabendo que se isso acontecesse não havería mais o desenho, antes fosse assim já que o desenho acabou de fato, mas o tal último episódeo jamais foi feito, muitos dizem que chegou até ser escrito, um roteiro que revelaria o segredo que o Mestre dos Magos é o pai do Vingador, mas isso talvez nem Bob Richardson e nem Karl Geurs podem confirmar com certeza, deixando uma intriga eterna, a mesma de cada episódeo, a mesma que marcou uma época.
 Thunder Cats
O desenho que mais marcou época foi exibido no Brasil pela Rede Globo entre 1986 e 1990, ThunderCats conquistou a todos por sua originalidade é principalmente por seus episódeos iniciais extremamente bem elaborados e explicativos, a explosão do planeta Thundera, com os ThunderCats fugindo em busca da sobrevivência de sua espécie e os vilôes que buscam o domínio da espeada justiceira se unindo a Mumm-Ra, no planeta onde todos vão parar e começar a reconstruir sua vidas, aquelas capsulas onde eles viajam, o Lion crescendo e a Wilikit e o Wilikat não crescendo, o Panthro construindo o ThunderTank e o Tygra com todo aquele conhecimento, além da Cheetara que é a versão feminina do Flash, sem falar no saudoso Snarf.
Cavaleiros do Zodíaco
Saint Seiya (em japonês: 聖闘士星矢, Santo Seiya?), conhecido nos países lusófonos como Os Cavaleiros do Zodíaco, é uma série japonesa (anime e mangá), de grande sucesso no mundo durante a década de 1990 e também a responsável pela divulgação dos animes no Brasil. Conta a história de jovens guerreiros guiados pelas constelações, protetores da deusa da sabedoria, da paz e da guerra.
A série exibida na TV é uma adaptação do mangá de mesmo nome criado por Masami Kurumada. A primeira exibição ao público foi feita pela Toei Animation no Japão na TV Asahi, no dia 11 de Outubro de 1986.
Pato Donald
O Pato Donald é um personagem de desenhos animados e arte seqüencial dos estúdios de Walt Disney, criado em 1934. Donald é um pato branco, de pernas e bico alaranjados, veste sempre uma camisa e quepe de marinheiro (não usa calças). Curiosamente, quando sai do banho ele aparece enrolado em uma toalha, que encobre apenas a parte de baixo, a que sempre está à mostra por ele usar apenas a camisa. O motivo para isto é que na época em que foi feito, todos os personagens precisavam utilizar roupas. Seu nome completo é "Donald Fauntleroy Duck". 
Tio Patinhas
Patinhas McPato ou Patinhas McPatinhas, conhecido como Tio Patinhas (Uncle Scrooge), é uma personagem escocesa de ficção criado por Carl Barks. Sua primeira aparição em quadrinhos se deu em dezembro de 1947.
Ao longo das décadas, Patinhas foi promovido de coadjuvante nas histórias do universo de Patópolis a protagonista de suas próprias aventuras, com direito a participação em vários especiais de televisão, filmes e videogames. A série de animação de 1987 DuckTales acompanha as aventuras de Patinhas, seus sobrinhos Huguinho, Zezinho e Luisinho e sua vida na fictícia cidade de Patópolis.

Gato Felix 
Felix the Cat (em português conhecido como Gato Félix) é um personagem de desenho animado, criado na época dos filmes mudos. Seu corpo preto, olhos brancos e sua risada característica, combinados com o surrealismo das situações criadas nos desenhos, fazem do personagem um dos mais conhecidos do mundo. Foi o primeiro personagem de desenho animado popular ao ponto de, por si só, atrair o público. 
Pateta
Pateta (em inglês: Goofy). é um cão da raça Bloodhound, e uma personagem de animação dos estúdios Walt Disney, criado em 1932. Ele é um cão antropomórfico de físico magro, esguio, alto e desengonçado, conhecido pelo público por seu jeito atrapalhado, engraçado e bondoso e chapéu singular. Seu nome seria um apelido, pois nos curtas dos anos 50 e 60 era chamado "George Geef" ou "G.G Geef". Fontes atuais como o desenho A Turma do Pateta dão seu nome como Goofy Goof.
Pateta possui um filho, Max, e o alter-ego super-heróico Superpateta (paródia do Superman).
Mickey Mouse
Mickey Mouse (em português: Camundongo Mickey ou Rato Mickey) é um personagem de cartoon (no Brasil, desenho animado) criada por Ub Iwerks e que se tornou, eventualmente, o símbolo da The Walt Disney Company. Mickey Mouse foi criado em 1928 por Walt Disney e Ub Iwerks e dublado por Walt Disney. The Walt Disney Company celebra seu aniversário em 18 de novembro de 1928, que é a data de lançamento de Steamboat Willie, embora até meados dos anos 1980 a data fosse comemorada em 28 de setembro. O camundongo antropomórfico evoluiu de ser simplesmente um personagem de desenhos animados e quadrinhos para se tornar um dos símbolos mais conhecidos do mundo. Uma curiosidade é a que Mickey Mouse estaria sob domínio público desde 1998 - a proteção dos direitos autorais nos EUA só dura setenta anos -, não fosse a aprovação pelo congresso americano da lei de prorrogação do copyright que expandiu por 20 anos os direitos autorais de todas as obras americanas que não tivessem caído ainda em domínio público, o que faz com que tal situação só ocorra em 18 de novembro de 2018. 
Timão e Pumba
Timão e Pumba (em Portugal Timon e Pumba) são personagens do filme O Rei Leão da Walt Disney. Os dois personagens (respectivamente, um suricata e um javali) ficaram conhecidos por cantarem a música Hakuna Matata do filme. Tempos depois, os dois personagens ganharam seu próprio desenho animado na TV, entrando em grandes aventuras no seriado do canal Disney Channel.
Timão é um suricata egoísta e ganancioso que foi expulso de sua colônia, Pumba é um facochero (espécie de javali) que não tem amigos devido ao seu "cheiro natural". Com a frase "Hakuna Matata", eles esquecem o passado e vivem sem preocupações sós na floresta, metendo-se em confusões e comendo insetos (lanche preferido dos dois).
  Perdido nas Estrelas
 
Wish Kid (Criança Desejo em Portugal e Perdido nas Estrelas no Brasil) é uma série de desenho animado para televisão estadunidense produzida pela DiC Entertainment. Os 13 episódios foram exibidos em 1991 - 1992.
A série protagoniza o garotinho Nicholas Mcclary (Macaulay Culkin), mais conhecido nas séries por ser chamado pelo apelido "Nick", que com sua luva de baseball mágica fazia inúmeros pedidos em sua casa na árvore. Outros personagens eram seus pais, seu melhor amigo Darryl, sua irmã bebê Katie e seu incansável arquiinimigo Francis Vira-Lata (Francis Dutweiler no original).
  Power Rangers 
Power Rangers é uma franquia de séries de televisão infantil estadunidense iniciada em 1993 pela Saban Entertainment e no ar até hoje, adaptando as séries japonesas da franquia dos Super Sentais para o mercado norte-americano.
Mas estou falando do power rangers de antigamente não a porcaria que é hoje.
Doug Funny 
Doug foi uma série animada americana do canal Nickelodeon. Foi o primeiro Nicktoon produzido e exibido, estrelando um garoto de 11 anos chamado Doug. Originado de um livro nunca publicado, Doug Got a New Pair of Shoes, do artista e criador da série Jim Jinkins (mesmo criador de Pinky Dinky Doo) e do escritor Joe Aaron.
A série estreou no Nickelodeon em 1991, ficando no ar até 1994. No Brasil, essa fase inicial foi exibida na TV Cultura e SBT, posteriormente, e na Band, dentro do programa PicNick Band. Em 6 de abril de 2009, a TV Cultura volta a exibir a primeira fase, em dois horários: 13h30 e 17h30. Esses episódios foram produzidos entre 1991 até 1994. Em 1996, a Disney produziu novos episódios, dando continuidade aos produzidos pela Jumbo Pictures. Foram exibidos nos Estados Unidos no canal ABC de 1996 até 1999. Essa segunda fase foi exibida no Brasil pelo Disney Channel e pelo SBT.
Atualmente a "fase Nickelodeon" é exibida de segunda a sábado às 17:30 na TV Cultura.

Pesquisa Web

Fase Adulta

- Fase Adulta

          A Idade adulta avançada constitui um momento da vida que por muito tempo não foi encarado como um estágio do desenvolvimento humano. Partilhando-se da crença de que o indivíduo nasce – cresce - reproduz - morre, é difícil perceber a relevância de tal período de forma a lidar com as questões encontradas.
          De acordo com Berger (2003), existem hoje três grandes correntes teóricas que aprofundam o conhecimento sobre este grupo: as Teorias do Self, as Teorias da Estratificação e as Teorias Dinâmicas.
          Segundo seus estudos, Berger destacou que as Teorias do Self percebem cada indivíduo com papel ativo no seu desenvolvimento. Uma das formas de se observar isso é por meio da teoria cunhada por Erik Erikson (1986) que percebe ser esse um momento de reflexão para o indivíduo, que pode transitar entre a integridade e a desesperança.  Este marco na vida da pessoa pode orientá-la a desenvolver contentamento pela forma com que levou a vida, além de querer também continuar tendo participação ativa na vida social, por analisar o caminho traçado até então de maneira positiva. Em sentido oposto, o mesmo indivíduo pode chegar à conclusão de que não viveu sua vida de forma plena como gostaria, e percebe que o tempo de vida hoje é muito curto para se voltar atrás. Essa constatação da proximidade da morte o levaria a uma situação de desesperança.
          Tal teoria é questionada por meio de situações vivenciadas no filme “Garotas do Calendário”¹ que traz à tona mulheres em idade adulta avançada que criam um polêmico calendário com fotos delas mesmas realizando suas atividades rotineiras, tais como cozinhar, cuidar de plantas, entre outras. A atitude em se lançar este calendário não pareceria tratar-se de um tema polêmico não fosse o fato delas posarem nuas.
          O propósito para se criar o calendário seria a arrecadação de fundos a um hospital, o que poderia enquadrá-las na polaridade Integridade citada por Erickson.
Mas o filme vai além disso: traz consigo a beleza da descoberta que tais mulheres fazem de si mesmas a partir do contato e da exposição de sua própria nudez, numa naturalidade de corpos que assumem suas idades, sem plásticas ou musculações e, mesmo assim, com suas belezas singulares.
          Isso pode nos levar a pensar também na Teoria da Identidade, também mencionada por Berger (2003), segundo a qual a busca da identidade do indivíduo é posta à prova durante por toda a sua vida, inclusive nesse momento marcado por rupturas e mudanças de papéis. No filme, quando uma das personagens fica viúva, ela tende a se reestruturar, encontrando no lançamento do calendário uma nova forma de lidar com a vida.
          O filme também vai de encontro às Teorias da Estratificação citadas pelo mesmo autor. Estas teorias encapsulam idosos em grupos segregados socialmente, seja pela idade, pelo seu gênero ou pela sua raça. Tal visão enquadra a mulher idosa, negra e pobre em uma ala marginalizada, o que é na verdade uma universalização de situações observadas. No filme, o que vemos são justamente grupos de mulheres que se encontram a “todo vapor” e unidas por laços de amizades sinceras, em uma organização capaz de dar continuidade ao sentimento de inclusão no convívio social, além de apresentar um exemplo de sabedoria e lição de vida aos mais jovens, lição essa que também aconteceu de forma semelhante no Rio Grande do Sul ².
          A história brasileira tem como uma de suas protagonistas a Dona Ana - uma senhora de 94 anos que dedica seu tempo a ajudar outros idosos fragilizados que, em sua maioria são mais jovens do que ela. Dona Ana é um exemplo de envelhecimento saudável, ativo e bem-humorado.

           Casos assim podem encontrar precedentes nas correntes teóricas dinâmicas (Berger 2003) que avaliam o sujeito, não apenas dentro de um modelo de crises normativas, mas considerando seu contexto histórico-cultural. Esta visão acaba por englobar as duas teorias citadas anteriormente, uma vez que enxerga o sujeito como ativo no seu processo de desenvolvimento e percebe que o contexto social pode influenciar a vivência de cada sujeito sem, contudo, apresentar receitas pré-determinadas de como a vida do idoso deve ou não deve ser, considerando que a única coisa que pode de fato determinar o destino final de uma pessoa são suas próprias escolhas e vivências pessoais.

Entrevista ao Dr. Jorge Humberto Dias

Entrevista ao Dr. Jorge Humberto Dias, que é um grande especialista na área da filosofia prática.

Qual entende ser o papel do filósofo no mundo social de hoje?
JD – Penso que a Filosofia Social é hoje uma área cada vez mais
importante. Com a complexificação do tecido social, sobretudo ao nível
das relações pessoais e institucionais, considero um bom investimento
profissional e social, por parte dos alunos universitários, a
especialização em Filosofia Social Aplicada. Tal como acontece noutras
áreas (académicas e profissionais), desde o Direito à Educação, passando
pelo Serviço Social, penso que é uma resposta extremamente actual e com
sentido, a Filosofia dedicar-se à análise e intervenção social, nos mais
variados domínios.
Para isso, necessitamos da articulação entre as ofertas universitárias
(que devem ser cada vez mais diversificadas, indo ao encontro dos
interesses dos alunos, assim como das reais necessidades das sociedades
e das pessoas), as entidades de estágio, as associações profissionais na
área da Filosofia e o mundo social em geral (empresas e organizações
não-governamentais, por exemplo).
O contributo do filósofo sempre foi importante para o debate de ideias,
para a formação das pessoas e para o desenvolvimento das organizações
sociais. No entanto, vivendo hoje num mundo cada vez mais tecnicizado e
profissionalizado, com fortes influências sociais e tecnológicas, os
licenciados em Filosofia deverão, também, obter formação especializada e
experiência profissional nas diferentes áreas de intervenção social.
Está aqui em causa a questão da habilitação profissional para uma
determinada função. Neste âmbito, sabemos que as instituições de
formação, em Portugal, estão ainda em processo de desenvolvimento, no
que diz respeito à implementação de cursos de formação inicial
(universitários) e de formação contínua (profissionais) e de grupos de
investigação académica/científica.

Em que consiste o aconselhamento filosófico?
JD – Trata-se de uma área de aplicação da Filosofia, que consiste
no fornecimento de um serviço especializado de aconselhamento, a
pessoas ou instituições/organizações, utilizando para isso o
domínio dos conhecimentos e dos métodos filosóficos, na abordagem
a uma determinada situação. Neste processo, é necessário dominar
competências de aconselhamento, assim como competências
filosóficas.
Tal como existem outros aconselhamentos, o jurídico, o financeiro, o
psicológico, o dietético, o empresarial, o imobiliário, o social, etc.,
também o Aconselhamento Filosófico pretende ajudar o seu cliente a
melhorar a sua situação concreta de vida. Em geral, o conselheiro
filosófico trabalha as várias dimensões filosóficas da vida e do
pensamento do cliente.

O que é que uma pessoa pode esperar quando se dirige a uma consulta de
aconselhamento filosófico?
JD – O consultante, quando procura um serviço de aconselhamento,
pretende obter uma espécie de ajuda. Actualmente, em Portugal, já muitas
pessoas conhecem o tipo de serviço que o Aconselhamento Filosófico pode
fornecer. No entanto, ainda é frequente encontrar pessoas, com problemas
específicos da sua situação de vida e/ou da sua subjectividade, e que
depois de terem experimentado outros tipos de ajuda, decidem
experimentar a ajuda filosófica. Estas, na sua larga maioria,
desconhecem a metodologia de trabalho utilizada pelo conselheiro
filosófico.
Por outro lado, já vamos encontrando em Portugal consultantes que
procuram intencionalmente este tipo de serviço, pois têm noção da sua
utilidade nas suas vidas/pensamento.
Podemos ver alguns exemplos: a felicidade é, quanto a mim, um problema
humano e filosófico, que poderá levar um consultante a solicitar os
serviços de um conselheiro filosófico, e o qual poderá ser útil na
reflexão metodológica sobre o problema, pois a concepção de felicidade
tem uma relação única e insubstituível com a concepção de vida do
consultante.
Problemas relacionados com o sentido da vida e da morte, com a
compreensão relativa a um conflito de valores, com a interpretação
relativa a um conjunto de ideias e acções, com a análise de uma situação
pessoal complexa, etc.
Hoje, vemos empresas a contratar licenciados em Filosofia, pois conhecem
os benefícios que o trabalho filosófico pode ter na gestão empresarial,
desde as questões éticas/deontológicas às questões de recursos humanos,
de filosofia da empresa, de qualidade, etc.

O que é o método “PROJECT@”?
JD – É uma forma de trabalhar a consulta filosófica. Ao longo da minha
carreira como Consultor Filosófico, fui-me apercebendo de alguns
instrumentos específicos e próprios que utilizava nas consultas
individuais e organizacionais. Aos poucos fui escrevendo e
esquematizando esses instrumentos, pois considero fundamental
partilhá-los com os colegas de profissão, assim como com os leitores
interessados em conhecer e explorar esta área de trabalho.
PROJECT@ é assim uma metodologia criada para o desenvolvimento da
consulta filosófica individual, embora possa ser adaptada à consulta
organizacional. Tal como acontece em todas as criações, as influências
são várias: a filosofia dos clássicos antigos (o questionamento de
Sócrates sobre as ideias essenciais da vida, a metodologia sistemática
de Aristóteles, os conselhos de Epicuro, Séneca, Epicteto e Marco
Aurélio), a filosofia do existencialismo (escola que desenvolveu várias
análises sobre a existência humana em geral, embora alguns autores
tenham abordado, mais em específico, alguns tópicos como por exemplo, a
liberdade, a responsabilidade, o sentido da vida, a felicidade, o
suicídio, a morte, os projectos, etc.), a filosofia vitalista
(nomeadamente de autores espanhóis, como Ortega e Gassett e Julián
Márias) e o movimento contemporâneo da Philosophical Practice, iniciado
em 1981 por Gerd Achenbach (com os seus diversos projectos: gabinete de
consulta filosófica, centro de formação de praticantes de filosofia e
associação nacional e internacional de filosofia prática) e nos anos 90
com Lou Marinoff e Ran Lahav (com a organização do primeiro congresso
internacional de prática filosófica).

O aconselhamento filosófico é uma alternativa à psicologia e à
psiquiatria?
JD – De facto, alguns autores têm abordado o Aconselhamento
Filosófico partindo de uma comparação com as ciências da psique.
No que diz respeito ao meu ponto de vista, já em várias
entrevistas me posicionei em relação a este tema: penso que
estamos perante áreas diferentes e que utilizam conceitos e
metodologias diferentes. Entendo que possam existir alguns autores
a explorar o facto de alguns filósofos, no passado, terem dedicado
os seus estudos às três áreas em conjunto. Mas com a
especialização de cada área, na época contemporânea, já não faz
sentido confundirmos Filosofia, Psicologia e Psiquiatria. São
áreas que trabalham de modo diferente e que tratam problemas
diferentes. No entanto, há uma questão que pode ser pertinente
analisar, que é a utilidade que cada uma pode ter no processo de
ajuda a um determinado consultante. Também poderá ser objecto
interessante para a investigação académica, a definição clara de
qual a área indicada para trabalhar a situação concreta do
consultante que decide solicitar os serviços de um destes
profissionais: consultor filosófico, psicólogo ou psiquiatra.
Para terminar a minha resposta a esta pergunta, recordo umas jornadas de
saúde e de toxicodependência, em que participei como conferencista
convidado, no painel dedicado ao trabalho da ética em equipas
multidisciplinares. Com este exemplo, pretendo transmitir a minha
posição, ou seja, penso que na actualidade, os problemas das pessoas e
das organizações são tão complexos, que só um trabalho de equipa,
composto por profissionais de diferentes áreas, poderá ajudar a
desenvolver novas formas de gestão, resolução, etc.

Quer-nos falar sobre a filosofia para crianças, os cafés filosóficos,
filosofia na empresa, e pertinência destas actividades na sociedade?
JD – Penso que essas actividades têm de ser organizadas de acordo
com os interesses dos eventuais participantes. E claramente,
dependem dos objectivos estabelecidos pelo facilitador. Se o
público-alvo fôr o cidadão comum, então o filósofo terá de adaptar
a sua linguagem e metodologia, de modo a que todo o trabalho seja
perceptível e possa vir a resultar em utilidade. Por outro lado,
se o público-alvo fôr o próprio filósofo, isto é, em que o
objectivo seja a formação interpares, então os instrumentos
técnicos deverão ser suficientemente pertinentes...
Fonte: http://blog.domingosfaria.net/2009/08/filosofia-pratica.html
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget